Foram localizadas oito madeireiras que operavam clandestinamente, retirando, beneficiando e comercializando ilegalmente, madeira de área federal.

Polícia Federal localizou oito madeireiras que operavam clandestinamente no Pará, durante a Operação Tembém II. — Foto: Divulgação / Polícia Federal

A Polícia Federal desarticulou esquema criminoso de comércio ilegal de madeira extraído da Terra Indígena Alto do Rio Guamá, no sudoeste do Pará. A Operação Tembé II foi deflagrada na manhã desta terça-feira (27). São cumpridos 34 mandados judiciais, sendo 10 de prisão preventiva, 11 de busca e apreensão e 13 bloqueios de valores e sequestro de ativos financeiros, nos municípios de Belém, Paragominas e Nova Esperança do Piriá.

  A PF estima que eram retirados da área, aproximadamente 6 mil metros cúbicos de madeira, o que representa uma quantia de R$ 6,4 milhões, por mês. As investigações se iniciaram no segundo semestre de 2016.

  Foram localizadas oito madeireiras que operavam clandestinamente, retirando, beneficiando e comercializando ilegalmente, madeira de área federal. Os investigados responderão pelos crimes ambientais, receptação qualificada, corrupção ativa e passiva, com penas que podem chegar a 12 anos de reclusão.

Investigação

  No período das investigações também foi realizada uma fiscalização pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas) com o objetivo de apreender os produtos florestais extraídos e comercializados ilegalmente. A ação ajudou a identificar os responsáveis e a materialidade delitiva dos crimes investigados.

   A primeira fase da Operação Tembé foi realizada em agosto de 2017. Na ocasião foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão no município de Nova Esperança do Piriá com a finalidade de buscar elementos que demonstrassem o cometimento de delitos ligados à extração ilegal de madeira.

 

 

 

 

Fonte: https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2018/11/27/pf-desarticula-esquema-que-vendia-mais-de-r-6-milhoes-por-mes-em-madeira-extraida-de-terra-indigena-no-para.ghtml

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor insira seu nome