Mover é uma tarefa constante e comum para a maioria das pessoas – porém, pode ser algo desgastante e cercado de muita dor. Se você faz parte das mais de 12 milhões de pessoas que sofre de artrite, ou conhece alguém, vai entender como é essa rotina.

Celebrado hoje (30), o Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo busca informar a população sobre a prevenção e o tratamento das doenças reumatológicas, também conhecidas como o popular reumatismo. A data é de extrema importância, já que, se não forem tratadas, essas doenças trazem enormes consequências negativas na vida dos pacientes, algumas vezes com consequências irreversíveis.

Por dentro da doença

As doenças reumáticas são, na verdade, um conjunto de mais de 100 doenças que acometem o aparelho locomotor, ou seja, os ossos, as articulações, cartilagens, músculos, tendões e ligamentos. Pertencem a esse grupo a artrite reumatoide, a artrose, osteoporose, gota, tendinites e bursites, a febre reumática e a fibromialgia.

Além disso, algumas delas podem evoluir de quadro e comprometer outras partes e funções do corpo humano, o que incluem os rins, o coração, pulmões, olhos, intestino e até mesmo a coluna vertebral e a pele.

A maior incidência de reumatismos é entre as mulheres entre 30 e 40 anos, por conta do desgaste natural do organismo e a proximidade com o período da menopausa. As causas ainda são desconhecidas, mas estudos recentes apontam fatores genéticos, a sobrecarga muscular por exercícios físicos sem acompanhamento e a obesidade.

Os principais sintomas variam em dores nas articulações, além de vermelhidão, calor ou inchaço; dificuldade na locomoção ao acordar; dores ao movimentar o braço; e redução da flexibilidade com a coluna. Diagnosticada a doença, a terapia inclui tratamentos diversos com integração de exercícios e terapia física, ou tratamento medicamentoso.

5 passos para ter qualidade de vida

Para tratar as doenças reumatológicas, além do uso de remédios, também é importante ter atitudes precavidas para ajudar a controlar a inflamação e aliviar os sintomas permanentes. Reunimos cinco exemplos de ações para que você ou qualquer outro reumático possa viver mais e melhor:

1. Compressas com gelo ou água fria: utilizar compressas de 15 a 30 minutos, 2 vezes ao dia, é um ótimo auxílio para aliviar ou mesmo diminuir os períodos de inflamação das articulações;

2. Exercícios de fisioterapia: mesmo sendo parte da terapia física contra o reumatismo, são úteis para trabalhar a mobilidade das articulações, fortalecer os músculos e favorecer uma melhor condição física. Existem exercícios possíveis de fazer em casa, porém, é importante ter orientação do fisioterapeuta de acordo cada paciente;

3. Praticar atividades físicas: exercícios como natação, hidroginástica ou caminhadas tem papel importante no controle o peso, já que ajuda a impedir essa sobrecarga das articulações, fortalecendo os músculos e osso e aumentando a flexibilidade da coluna.

4. Cuidados com a alimentação: recomenda-se uma dieta rica em ômega-3, presente em peixes de água fria, como salmão e sardinha, e em sementes como chia e linhaça, que participam do sistema imune. Também é importante que a dieta contenha cálcio e vitamina D, presente em leites e derivados, para fortalecimento dos ossos e da pele.

5. Evitar abusos: excesso de bebidas alcoólicas e tabaco, além do consumo de alimentos processados e com muitos aditivos, podem piorar o processo inflamatório e atrapalhar o tratamento. Cuide bem do seu corpo e conquiste a liberdade de se movimentar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor insira seu nome