Do dia 1º até 31 de outubro, toda a sociedade se reúne com um único objetivo de lutar contra o câncer de mama. E não são apenas as mulheres o direcionamento dessa campanha global, pelo contrário – os homens, crianças, idosos, todas as pessoas estão aptas a participar do engajamento para ações de prevenção e diagnóstico precoces.

A mobilização visa também à disseminação de informações preventivas e reafirma a importância de todos nós em ter uma preocupação com a saúde, bem como lutar pelo atendimento médico humanizado e o suporte emocional, permitindo desta forma um tratamento de qualidade.

O Instituto Nacional do Câncer estima mais de 60 mil casos desse tumor maligno para esse ano, e que por conta da desinformação, não acomete apenas mulheres: dos 16.927 óbitos provocados, 203 eram homens. Isso se deve porque o câncer ataca o tecido mamário – presente em qualquer ser humano – após um tipo de alteração genética. A incidência maior continua sendo no sexo feminino, com uma probabilidade de 99 casos para cada 1 em homens.

1/4 dos casos de câncer no Brasil são os de mamas e a maioria poderia ser evitada com hábitos saudáveis no dia a dia. Tendo em vista que esse é um problema de todos nós, tanto de cautela quanto conscientização, vamos analisar cinco atitudes que permitem manter a saúde longe desse mal terrível.

1. O autoexame

Uma ferramenta divulgada em toda campanha de promoção à saúde da mulher, o autoconhecimento do corpo através do toque possibilita a descoberta de sintomas que poderiam passar despercebidas.

Para realizá-lo, basta se posicionar em frente a um espelho e massageando ambas as mamas em busca de nódulos, dores ou mesmo alguma reação incomum – assim que sentir algo diferente, procure um especialista. A medicina recomenda um exame de rotina com frequência mínima de seis meses. Os casos descobertos no início possuem a maior chance de serem revertidos com tratamentos eficazes.

2. Procure uma alimentação saudável e movimente o corpo

O câncer de mama não tem uma única causa, decorrente de um conjunto de fatores que vão desde os ambientes e comportamentais até o histórico da família sobre gestação e produção de hormônios, e genética ou hereditariedade.

A obesidade e o sobrepeso se enquadram como fatores de risco para desenvolver a doença, em especial, para mulheres que já passaram da fase da menopausa.

É importante adotar melhores hábitos alimentares, evitando consumir gordura saturada. Por exemplo, uma dieta rica em soja pode diminuir as chances de surgimento do tumor, segundo estudos recentes. A atividade física é uma ótima forma de controlar o peso.

3. Diminua a bebida. Acabe com o cigarro.

A regra é clara: o tabagismo não apenas é responsável pela incidência do câncer de mama, como pode também provocar o seu retorno ou mesmo cause mutações cancerígenas em outro tecido.

Já o consumo excessivo de bebida alcoólica está associado ao aumento de risco de tumores malignos em outras partes do corpo, incluindo as mamas.

4. Saúde emocional já

O estresse tem sido responsável pela progressão de inúmeras de doenças, incluindo o câncer. Altas cargas de tensão podem fazer com que o câncer de mama atinja metástase, ou seja, se espalhe do ponto de origem chegue até os ossos, segundo um estudo da Universidade de Vanderbilt, no EUA.

Além disso, o impacto psicológico causado pela descoberta câncer pode trazer outros problemas, como a depressão. Por isso, o cuidado com a saúde mental é tão importante quanto o tratamento do corpo.

5. Informe-se! E repasse!

Não adianta ler e informar-se sobre tudo o que foi relatado sem repassar para familiares, amigos e conhecidos.

O câncer de mama é uma realidade de todos nós, e essa luta está na proteção da maioria das mulheres e uma parcela dos homens que são acometidos todos os anos pela doença. A prevenção é a melhor arma na luta contra esse tumor maligno.

Tome essas atitudes positivas e divulgue para as outras pessoas. A partir de outubro, torne o rosa como a cor da salvação e da conscientização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor insira seu nome