Dia 21 de setembro é instituído como o Dia Nacional de Conscientização da Pessoa com Alzheimer a sensibilizar e conscientizar a sociedade civil, entidades públicas e privadas de saúde e iniciativas alternativas, assim como profissionais das mais diversas áreas, sobre esse problema que ainda arrasta muitas pessoas em todo o mundo.

Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz), mais de 1 milhão e 600 mil pessoas são acometidas por alguma demência, incluindo o chamado “Mal de Alzheimer”, e a previsão é a expansão do número para 135,5 milhões até 2050, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Doença de Alzheimer é uma doença degenerativa que atinge pessoas idosas, em sua maioria, com mais de 60 anos. Por afetar determinadas regiões do cérebro, muitos sintomas se confundem com reações corriqueiras do dia a dia de uma pessoa idosa, como problemas de memória, dificuldade em organizar e realizar tarefas, interrupções de fala e escrita ou mudanças bruscas de humor. Por isso, ocorrem as pioras progressivas das funções cerebrais.

Essa demência é multifatorial, variando em situações como idade, incidência genética, comportamentos como tabagismo ou sedentarismo, doenças como diabetes, hipertensão, obesidade, entre outros. Não existe um diagnóstico efetivo: a confirmação só ocorre por meio de um exame microscópico do tecido cerebral logo após o falecimento da pessoa com Alzheimer. Antes disso, o paciente com suspeita depende da avaliação feita por um especialista a partir de exames, como tomografia, e do histórico do paciente, partindo para uma hipótese para a causa da demência.

O que a sociedade civil precisa intervir é na garantia do bem-estar e da qualidade de vida dos idosos em geral, principalmente, daqueles que sofrem com a Doença de Alzheimer. Por isso, vamos listar 4 dicas que podem trazer segurança e conforto a essas pessoas.

1) A vida no ambiente doméstico

Em casa, ambientes temporários (como hotéis e pousadas) e mesmo em casas de repouso, mantenha objetos de uso cotidiano no mesmo lugar e facilite acesso a eles, evite produtos e artigos de decoração que deixem o piso escorregadio, como tapetes. Facilite o acesso aos locais de livre circulação e os deixem bem iluminados, bem como utilize corrimão nas escadas.

2) Como diminuir a agitação?

A pessoa com algum tipo de demência sente-se irritadiça com frequência. Por isso, evite visitas tumultuadas, barulhos e ruídos altos e discussões frequentes.Quando houver mudanças bruscas de rotina, comunique a pessoa com antecedência.

A doença fragiliza o paciente, portanto, faça a se sentir acolhida: converse, crie distrações e mantenha carinho através de um contato emocional, como carícias ou abraços. Faça se sentir amada pela família ou amigos e com a autoestima elevada. Tente entender suas particularidades e evite discussões.

3) Cuidados com a saúde

Mantenha uma rotina de horário e local para todas as refeições e consulte um nutricionista sobre a dieta regular do paciente e a hidratação. Varie a alimentação em um cardápio atrativo, mas sem esquecer de facilitar a mastigação. E tenha atenção com a higiene bucal!

4) E para evitar conflitos

Infantilizar ou desprezar a pessoa não ajuda em absolutamente nada. Ouça com atenção o que ela tem a dizer e busque entender suas necessidades, sempre respondendo de maneira pausada e com segurança, chamando pelo nome e mantendo o contato físico e visual. Fale sempre no positivo, dizendo-lhe o que pode e o que deve fazer

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor insira seu nome