O Dia Nacional de Combate ao Fumo comemorado hoje (29) reforça a luta contra o tabagismo e mostra que o cigarro é um malefício para todas as áreas.

A Lei Federal 7.488 do ano de 1986 institui a regulamentação voltada para o controle do tabagismo como questão de saúde pública. Por conta de sua importância, surgiu o Dia Nacional de Combate ao Fumo com o objetivo de destacar os riscos do cigarro para o organismo e a importância de medidas efetivas para redução do consumo, ressaltando os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados por esse vício.

Segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o cigarro é o responsável por 30% dos diagnósticos confirmados para câncer, sendo 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por infarto do miocárdio, 85% das mortes por bronquite crônica e enfisema pulmonar e 25% das mortes por doença vascular, o que inclui o derrame cerebral.

Além disso, são inúmeras as doenças relacionadas ao tabagismo, tais como: hipertensão arterial, AVC (acidente vascular cerebral), diabetes, úlcera, infecções respiratórias, disfunção erétil e infertilidade. Os índices apontam que 200 mil pessoas são vítimas todo o ano no Brasil; com 4,9 milhões ao redor do mundo.

Se a decorrência de sintomas e doenças graves são suficientes para conscientizar as pessoas sobre os malefícios do fumo, vamos listar abaixo outras esferas em que esse vício prejudica não apenas uma única pessoa, mas toda a sociedade.

1) Pessoal: dependência tóxica

A fumaça do cigarro contém impressionantes 4.700 substâncias tóxicas, sendo muitas delas atestadas como cancerígenas, como o alcatrão e a nicotina – esta última age como estimulante do sistema nervoso central, elevando a pressão sanguínea e a frequência cardíaca, e é considerada de vício equivalente ao da cocaína. Por sua vez, o alcatrão é relacionado a problemas cardiovasculares.

2) Social: a fumaça que mata

Pessoas próximas a fumantes são afetadas pela fumaça presente nos cigarros – são os chamados fumantes passivos, pois aspiram os gases tóxicos de forma involuntária.

Estudos apontam que fumantes passivos podem desenvolver câncer de pulmão em até 30% das chances, tem propensão de 30% em sofrer doenças cardíacas e até 35% em ter anginas e enfartes, bem como asmas e diminuição da capacidade respiratória.

3) Meio-ambiente: cidades cinzas

Engana-se que as substâncias químicas dos cigarros afetem somente o ser humano:  os gases tóxicos emitidos a cada tragada poluem o ar e o chão. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os resíduos de tabaco contêm mais de 7 mil substâncias químicas tóxicas, que envenenam a atmosfera, os solos, mares e os rios.

Dos 15 bilhões de cigarros vendidos diariamente no mundo, mais de 30% acabam no meio ambiente, contendo uma mistura de nicotina, arsênico e metais pesados. Filtros de cigarros demoram cerca de cinco anos para se decompor.

4) Profissional: produtividade queimada

Uma pesquisa da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, afirma que um colaborador fumante custa quase US$ 6 mil a mais por ano nas empresas se comparado a quem não fuma. O valor foi calculado em cima dos motivos que justificam o alto custo: as faltas dos funcionários em função de consultas médicas por sintomas acarretados pelo cigarro.

Isso ocasiona a queda na produtividade, tornando esse funcionário um gasto evitável a classe patronal. Sem contar as inúmeras pausas para fumar durante a jornada diária, o que prejudica as tarefas habituais.

5) Economia: todo mundo perde

Para custear o vício, um tabagista precisa desembolsar uma boa quantidade de dinheiro. Para se ter uma ideia, um maço custa, no mínimo, R$ 6; se a pessoa fumar um maço por dia, ela gastará, em torno de R$ 180 por mês e R$ 2,1 mil por ano.

O impacto também está nos custos do tratamento para o sistema público de saúde: um levantamento da ACT (Aliança do Controle do Tabagismo) constatou que o Brasil, em 2011, investiu R$ 21 bilhões para tratar apenas doenças relacionadas ao tabaco.

Pare de fumar!

O 7º Relatório da OMS sobre a Epidemia Mundial do Tabaco de julho desse ano registrou os esforços do Brasil para o combate ao tabagismo, atingindo a segunda posição da instituição quanto as ações governamentais de sucesso implementadas para a redução do consumo de cigarro, se tornando um exemplo para o mundo.

Portanto, aproveite a data para se informar e conscientizar as outras pessoas, tanto fumantes quanto não-fumantes, para não serem afetadas por esse vício perigoso. O Sistema Único de Saúde oferece tratamento gratuito para quem quer parar de fumar e e o Programa Nacional de Controle do Tabagismo trabalha com esse combate nos estados.

Projeta a sociedade, o meio-ambiente, a economia – proteja a vida!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor insira seu nome