21 de junho é o Dia Mundial de Combate à Asma, doença das vias aéreas que acomete quase 7 milhões de brasileiros.

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, caracterizada pela dificuldade de respirar quando a pessoa é exposta a agentes que provoquem a alergia. O relatório da Pesquisa Nacional de Saúde (Ministério da Saúde/IBGE) registra 6,4 milhões de brasileiros asmáticos, acima dos 18 anos. A incidência da doença é maior em mulheres: cerca de 39% a mais no sexo feminino.

Vários fatores ambientais (como exposição à poeira, aos ácaros e fungos, variações climáticas e infecções virais) e genéticos (histórico de asma na família, rinite ou obesidade) podem gerar ou agravar a doença, provocando a falta de oxigenação e levar à morte.

O asmático possui tosse recorrente, geralmente durante a noite, nem sempre com secreção e obstrução da passagem de ar, chiado no peito e cansaço. Esses sintomas podem aparecer juntos ou de maneira isolada.

A asma não tem cura, mas o tratamento com substâncias inalatórias poderá diminuir a inflamação nos pulmões, promovendo uma vida normal e ativa. É preciso também um maior cuidado doméstico para evitar acúmulo de poeira:

– Lavar as roupas de cama uma vez por semana em água quente, e os travesseiros a seco mensalmente;

– Forrar o colchão e travesseiros com coberturas de plástico com zíperes;

– Aspirar a casa todos os para evitar acúmulo de mofo, poeira e sujeira, ou de pelos de animais domésticos (caso haja). Evitar de varrer a casa, sugerindo o uso de panos úmidos para evitar que a poeira se espalhe;

– Não use perfumes, talcos ou desodorantes em crianças asmáticas. Nem usar substâncias de limpeza com cheiro forte;

– Manter-se longe da fumaça de cigarro.

O importante é ir ao especialista com frequência e, sempre que notar algum tipo de mudança nos sintomas, dar continuidade aos tratamentos, sem interrupções.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor insira seu nome